Close

As badaladas ilhas de Fiji

Mais do que o azul turquesa do mar e as praias paradisíacas, é impossível ir para Fiji e não se encantar com a hospitalidade das pessoas em todos os lugares. Assim que desembarca no aeroporto, a música começa. Um grupo de rapazes ao som do violão cantam a chamada “Bula Song” (Canção de Boas Vindas) para todos que chegam no país.

 

E não para por ai. Em todos os hotéis que passamos, principalmente nas ilhas que visitamos, fomos recebidos com música. Não importa quantas pessoas estejam chegando no hotel, um grupo de 15 pessoas ou apenas um, os funcionários irão até a praia e cantarão uma canção de boas-vindas para os novos hóspedes. Canções não faltam e eles simplesmente adoram cantar. Há também as canções de despedida e, durante o jantar, é comum ter música fijiana ao vivo.

O que eu mais gostei em Fiji é que você se sente em casa mesmo estando em um resort. Os funcionários são simpáticos, sabem seu nome, estão sempre dispostos a ajudar, gostam de fazer atividades junto com você e adoram bater um papinho a qualquer hora.

Fiji tem cerca de 900 mil habitantes e seu arquipélago compreende 333 ilhas e mais de 540 ilhotas. O país foi colônia britânica de 1874 a 1970, e o inglês é uma das línguas oficiais por aqui. 

Assim como em outras ilhas do Pacífico, em Fiji também se praticava o canibalismo. Há indícios de que o canibalismo deixou de ser praticado no início do século 20, com a vinda dos missionários para essa região, convertendo os nativos ao cristianismo. Como em Fiji existe centenas de pequenas ilhas, na época dos canibais, as tribos costumavam nadar de uma ilha e outra para conquistar território. O negócio era comer o seu inimigo e, assim, poder se apossar de sua ilha. Simples assim, se é que comer alguém é algo simples.

Atualmente, a economia do país é baseada no extrativismo, na produção agrícola e, principalmente, no turismo. As ilhas de Fiji podem ser basicamente divididas em 9 grupos de ilhas distintas, no entanto, a grande maioria dos estrangeiros que visitam o país conhecem apenas 3 destas regiões: Viti Levu, Mamanuca Islands e Yasawa Islands. Na verdade, são os lugares que oferecem maior variedade de hotéis, incluindo opções para todos os bolsos, desde backpackers até resorts mais sofisticados.

Em regiões mais afastadas da ilha principal, onde só é possível ir de avião, ficam as ilhas dos milionários. Celebridades de Hollywood e donos de empresas multinacionais têm suas próprias ilhas em Fiji.

Além disso, há hotéis super luxuosos para receber aqueles que querem exclusividade. Ouvimos dizer que vários artistas hollywoodianos escolhem estas pequenas ilhas para fazerem seus casamentos ou passarem suas luas de mel, longe da mira dos paparazzis. Sandra Bullock, Mel Gibson, Tom Cruise e Tom Hanks são alguns dos frequentadores destas ilhas em Fiji.

Enquanto isso, nas ilhas mais populares, não faltam opções de lugares incríveis para se conhecer. É possível pegar um barco que passa por 18 ilhas, com um total de 27 resorts pelo caminho. Você escolhe a quantidade de dias que irá passar nas ilhas e compra um passe que dá direito a pegar o barco quantas vezes quiser.

Há pacotes que incluem o barco e a estadia nos resorts. Tudo pode ser personalizado da maneira que quiser, pois não faltam opções para escolher. Ao invés de estrelas, os hotéis são classificados com cocos. Dos mais básicos, com 1 coco, até os mais sofisticados, com 3 cocos. É muito fácil se locomover, além de ser bem organizado. Nós pegamos o pacote de 10 dias e ficamos em 5 ilhas diferentes. Tem hotéis para todos os gostos, dos mais tranquilos aos mais agitados; daqueles que você curte a paisagem ficando na rede, a aqueles que a noite é badalada.

Fiji é o destino mais turístico dentre todas as ilhas do Pacífico, recebendo cerca de meio milhão de turistas por ano, mais da metade da sua população. O lado bom é que sua estrutura é preparada para o turismo, mas, o lado ruim, é que o aumento da circulação de pessoas em todas as ilhas faz com que tenha que se planejar com antecedência para conseguir vaga nos hotéis, além de perder um pouco da autenticidade da cultura local. Tudo gira em torno do turismo, com muitas atividades para agradar os estrangeiros, contudo, às vezes, sem se preocupar com a deterioração dos lindos corais que Fiji possui.

O Mau esteve em Fiji há 10 anos e conheceu os mais lindos e coloridos corais que já tinha visto em sua vida, mas que hoje não existem mais. E não é somente o efeito das mudanças climáticas, o aumento do nível do mar, ou os ciclones que passaram por aqui que têm causado essas mudanças em Fiji. Falta também educação para a população local e também para alguns turistas que não se preocupam com os danos que estão causando aos corais e jogam coisas no mar como se fosse uma grande lata de lixo.

Claro que a vida debaixo d’água continua surpreendente, afinal, é o que atrai tanta gente para o país. Mas, assim como em outros lugares do mundo, a mudança de comportamento é necessária para preservar esse lugar tão incrível para as próximas gerações.

Não tem como vir para Fiji sem se encantar com seus jardins submersos e a incrível variedade de peixes que tem neste lugar. O mundo debaixo d’água é um show imperdível, seja para fazer snorkeling ou mergulho.

Nós vimos peixes de todas as cores e tamanhos. E não parou por aí: na ilha Nanuya Balavu, em uma manhã, quando entramos no mar para fazer snorkelling, à poucos metros da praia nos deparamos com um tubarão! Sim, daqueles que vivem próximos aos corais. Era inofensivo, mas não era tão pequeno. Além disso, vimos arraias, cobra do mar, crustáceos e corais lindíssimos. 

Em Waya Lailai, foi a vez de encarar os tubarões frente a frente. A cerca de 15 minutos de barco da ilha, há um local repleto de tubarões para fazer snorkelling e vê-los de pertinho. São tubarões inofensivos, chamados de “White Tip” (um tipo de tubarão de corais) que vivem nesta região. Eram mais de sete tubarões nadando ao redor, alguns curiosos chegavam perto, mas não faziam nada. Coisas que só Fiji proporciona!

Nosso lugar favorito para snorkelling foi na região de Yasawas, nas ilhas de Nanuya Balavu e Naviti. O snorkelling com tubarões fica em Waya Lailai e Kuata.

As chamadas “Mamanucas” são as menores ilhas habitadas de Fiji. Pequenas ilhas que abrigam pequenos resorts. Em South Sea Island, onde ficamos, são apenas 5 minutos para você andar pela ilha toda. Nunca tinha passado a noite em uma ilha tão pequena.

Durante a noite, um dos funcionários do hotel pediu para que deixássemos o colete salva vidas perto da cama porque a previsão era de maré alta. Um pedido um pouco tenso, mas que se tratava apenas de uma medida de segurança, como apertar os cintos enquanto o avião está decolando. Durante o dia, a ilha enche de pessoas que vêm passar o dia, uma vez que fica a apenas 30 minutos de Nadi (ilha principal).

Nesta região, é possível visitar a ilha de Mondriki, onde foi gravado o filme Náufrago, com Tom Hanks. Há um passeio diário organizado pela Seaspray. A ilha é pequena e inabitada, porém, o passeio inclui outras ilhas e atividades pelo caminho.

Falando em filmes, a famosa “Lagoa Azul”, onde foi gravado um dos clássicos do cinema, também fica em Fiji, na ilha de Nanuya. São aproximadamente 5 horas de barco para chegar lá. A ilha fica na região das Yasawas, ao norte de Nadi. O lugar é lindo e tem uma paisagem estonteante. Só ficamos decepcionados com o fundo do mar, pois vimos muitos corais mortos nessa região. No entanto, a famosa Lagoa Azul estava repleta de peixes dos mais variados tipos e tamanhos.

A capital de Fiji é Suva, que fica na ilha de Viti Levu, e não tem muito o que se fazer por lá. Já em Nadi (nesta mesma ilha), onde fica o aeroporto internacional e o porto principal que dá acesso a todas as ilhas que passamos, é um lugar interessante para se passar alguns dias. De Nadi, é possível fazer passeios diários para as ilhas da região das Mamanucas e, também, explorar a ilha principal, conhecendo o vulcão extinto Monte Tomanivi, o Koroyanitu National Heritage Park, piscinas de lama, curtindo a região de surf chamada de Coral Coast, entre outras atividades.

Não faltam opções para surpreender qualquer um que venha conhecer Fiji. Quem não gosta de ser bem recebido, bem tratado e até paparicado de vez em quando? Quando estávamos no aeroporto para deixar o país, já estávamos cantando junto com eles as músicas que nos acompanharam por toda a viagem. Não importa a quantidade de estrelas, ou cocos, que tenha o hotel, aqui eles sabem como ser hospitaleiros.

Empresas que oferecem os pacotes de hospedagem e transporte pelas ilhas:

Awesome Adventures
South Sea Cruises

 Referências:
http://www.oceania-turismo.com/fiji.htm
http://viajeaqui.abril.com.br/materias/fiji-ilhas-da-simpatia
https://pt.wikipedia.org/wiki/Fiji

Acompanhe nossa aventura também pelo:

Facebook:
https://www.facebook.com/historiaspmundo

Instagram:
Historiaspelomundo

 

Loading...
Loading...