Close

Green School, educação por um mundo melhor

Uma escola sem paredes, mesas redondas, lousas de bamboo, salas de aula ao ar livre, piscina de lama, horta, sistema de compostagem, energia solar, e até um vortex para gerar energia.

Tudo isso, no meio da natureza na região central da ilha de Bali na Indonésia. É assim a Green School, uma escola que surpreende não somente pela sua arquitetura e preocupação com o meio ambiente, mas também pela sua metodologia e sistema de aprendizagem baseada numa visão holística e na importância das nossas ações para garantir o futuro das próximas gerações.

Conheci a Green School lendo um artigo que falava sobre as principais “escolas verdes” pelo o mundo. Quando chegamos na Indonésia, não tive dúvidas em marcar uma visita para conhecer de perto suas atividades e sua forma inovadora de aprendizagem. Conseguimos agendar o tour pela escola guiado pelo seu fundador John Hardy, que além de ser divertido, fala com paixão e orgulho sobre seu projeto.

John conta que sempre teve problemas na escola, saiu do Canadá com 25 anos e fugiu para Bali onde conheceu Cynthia, sua esposa. Tiveram 4 filhos e tudo estava caminhando tranquilamente, quando em 2006, suas vidas virariam de ponta cabeça por culpa do ex-Presidente americano, Al Gore. Ele conta que depois de assistir o filme “Uma verdade Inconveniente” que fala sobre os possíveis efeitos das mudanças climáticas no Planeta, decidiu que teria que fazer algo para mudar isso. Ele dizia: “Eu tenho 4 filhos e mesmo se só uma parte do filme for verdade, meus filhos não terão a mesma vida que eu tive. Então eu decidi que iria passar o resto da minha vida fazendo tudo que eu pudesse para mudar isso”

Claro que montar uma escola não é nada fácil, ainda mais buscando fazer algo diferente e inovador. Segundo John, quem tem essa ideia de montar uma escola, deve procurar tratamento psiquiátrico, ele brinca.  Ele reforça que Cynthia, sua mulher, foi essencial em todo o processo, guerreira, ela soube lidar com as dificuldades e buscar soluções que viabilizassem toda a metodologia utilizada na escola. O processo não foi fácil, mas hoje é extremamente recompensador, diz ele.

Para transformar o projeto em realidade John foi buscar formas de construção sustentáveis e viu o bamboo como seu melhor aliado. Os prédios da Green School deixam qualquer arquiteto de boca a aberta. Tudo feito de bamboo e de forma bastante artesanal. John soube combinar a sabedoria local de artesões para lidar com o bamboo com o conhecimento técnico de engenheiros, arquitetos, designers e paisagistas internacionais. O resultado é incrível, de deixar qualquer um babando.

A Green School foi considerada por algumas revistas a escola mais verde do mundo. Além de utilizar placas de energia solar, captação de água de chuva, poços artesianos, sistema de compostagem, reciclagem, horta orgânica, possui seu próprio gerador de energia através de um vortex para geração de energia hidráulica, a partir da força do rio que corta a escola. O vortex está em fase de testes, mas em breve poderá compartilhar energia com a vizinhança e a comunidade local, conta John.

A escola foi aberta em 2007 e atualmente conta com 376 alunos de 43 países diferentes. Diversidade não falta por aqui, o que não poderia ser melhor para uma rica troca de conhecimentos na sala de aula. O ensino vai desde o jardim de infância até o colegial.

A metodologia traz uma formação baseada na visão holística, no aluno e na consciência ambiental. A escola procura integrar os conteúdos acadêmicos tradicionais com a aprendizagem ambiental e experiencial, baseada em práticas sustentáveis e centrada no aprendizado individual do aluno. O objetivo é humanizar o conhecimento e respeitar o tempo de aprendizagem de cada um.

A metodologia da Green School foi baseada nos estudos do educador britânico Alan Wagstaff, que defende uma maneira de ensinar conectando aspectos racionais, emocionais, físicos e espirituais. Ao invés de matérias, como estamos acostumados no Brasil, aqui são trabalhos temas, passando por todos os aspectos mencionados.

O objetivo de John é dar oportunidade para que mais crianças balinesas possam frequentar a escola, sua meta é chegar em pelo menos 20% de alunos balineses nos próximos anos. Hoje as crianças da Indonésia representam 15% dos alunos. A maioria das crianças são australianas e americanas. Mesmo com um custo razoável comparado aos padrões de escolas particulares na Europa e nos EUA, as famílias de Bali não possuem condições financeiras para colocar seus filhos na Green School, e as que possuem, muitas vezes acabam mandando seus filhos para Europa ou para os EUA. O preço por aluno varia 10 a 15 mil dólares por ano.

Mas para atingir seu objetivo, a escola conta com um programa de bolsas para as crianças locais, suportado por doações de diferentes partes do mundo. Inclusive o tour que fizemos, que custa 10 dólares por pessoa, tem o dinheiro totalmente revertido para esse programa. No final do passeio, você é convidado a fazer uma doação maior se quiser e ter seu nome escrito em um dos bambus do saguão principal. Grandes nomes estão por lá, inclusive do Secretário Geral da ONU, Ban Ki-Moon que visitou a escola em 2014.

Um dos pilares da escola passa pela conexão e envolvimento com a comunidade local. O projeto Coco Connection oferece aulas de inglês para mais de 110 crianças da região gratuitamente. Promovem festas com a comunidade e empregam a mão de obra local. Além disso, os alunos estão sempre interagindo com os hábitos e costumes da cultura balinesa na sala de aula, seja através de projetos específicos ou em atividades artísticas como dança e teatro.

Conhecer exemplos como a Green School é uma injeção de esperança para poder ver o mundo de forma otimista. Muito legal conhecer pessoas como o John e a Cynthia que saíram da sua zona de conforto, depois de já estarem aposentados, porque acreditaram que poderiam fazer a diferença. E estão fazendo, não só para seus filhos e netos, mas para as próximas gerações.

 

Para quem quiser conhecer mais sobre a Green School, recomendo assistir o TED do John Hardy e o os vídeos do canal deles no YouTube, cujos os links estão disponíveis abaixo:

TED Talks John Hardy:
 http://www.ted.com/talks/john_hardy_my_green_school_dream.html

Green School:
 http://www.youtube.com/watch?v=NhuSMT9pe3Y

Vida de Estudante:
https://www.youtube.com/user/greenschoolbali/playlists?sort=dd&view=50&shelf_id=7

Sustentabilidade na Green School:
https://www.youtube.com/playlist?list=PLLo3UtBdmnukk-q4mY88EZ2cZuw2TeBdC

O brasileiro Eduardo Shimaraha, que viajou o mundo buscando exemplos inovadores em Educação, conta sua experiência nos dias que passou na Green School, vale também conferir seu artigo no link abaixo:
http://porvir.org/magia-da-green-school/20130321/

 

Acompanhe nossa aventura também pelo:

Facebook:
https://www.facebook.com/historiaspmundo

Instagram:
Historiaspelomundo

 

Loading...
Loading...