Close

Ilhas tailandesas: Paraíso por quanto tempo?

É indiscutível que as ilhas na Tailândia são lugares paradisíacos, mas o aumento do turismo e a exploração destes lugares tem trazido graves problemas ao meio ambiente, ameaçando também a biodiversidade local.

É impressionante como alguns tipos de turistas acham que o mar é tão grande que um saquinho plástico ali ou uma garrafinha lá não vai gerar nenhum problema. Duvido que na casa deste turista, ele sairia largando as coisas assim para cada lado (talvez, sim). Em muitas praias que passamos, apesar do mar transparente e azul turquesa, vimos lixo espalhado pela areia e até no meio do mar. 

Fazendo snorkeling em uma ilha próxima à Koh Tao, tomei um susto ao ver algo se mexendo que parecia ser uma grande água viva. Estava perto de um coral, mas como se mexia de forma esquisita, tentei chegar um pouco mais perto, quando percebi que, na verdade, se tratava de uma sacola plástica jogada no mar. Estávamos em um local isolado, com pouquíssimas pessoas ao redor, mas na rota dos barcos para o passeio de snorkeling, ou seja, um lugar bastante movimentado pelo turismo.

Mas não pense que o problema está somente nos estrangeiros que visitam o país. Nos passeios de barco que fizemos, os barqueiros chegavam bem pertinho dos corais para facilitar o snorkeling na área e jogavam a âncora do barco sem se preocupar com o que tinha embaixo (muitas vezes, corais). Poderiam ter um pouco mais de cuidado para não acabar com a beleza do lugar que eles mesmos tiram seu sustento. Falta conscientização de todos os lados, infelizmente.

A única iniciativa bacana que vi foi em Koh Tao, pois chegamos bem no dia em que estava ocorrendo um Festival para conscientização e captação de recursos em prol do meio ambiente. A ONG “Save Koh Tao” organizou um show com artistas da região e convidou os moradores locais para venderem comidas típicas em pequenas barraquinhas.

Além disso, organizaram uma pequena exposição trazendo animais marinhos feitos de objetos reciclados junto com cartazes que continham informações sobre os danos ao meio ambiente que o homem vem causando. Foi bacana, pois o lugar estava lotado e, mesmo em clima de festa, é uma boa forma de chamar a atenção para o problema.

Algumas cidades como Krabi, no sul do país, organizam grandes mutirões de limpeza nas praias de vez em quando. Mas o grande problema é que são apenas ações pontuais, que ocorrem em determinado momento, enquanto a raiz do problema está na mudança de comportamento.  Já passou da hora do povo acordar e perceber que certas atitudes não são mais aceitáveis no mundo em vivemos.

Há tantos lugares incríveis para visitar na Tailândia, que se quisermos continuar visitando esses lugares, a mudança de comportamento deve ser inevitável.

Ilhas no Golfo da Tailândia

Nosso roteiro pelas ilhas tailandesas começou em Koh Tao, situada no Golfo da Tailândia. Lá, a atração principal está debaixo d’agua, pois é uma região muito popular para mergulho e snorkeling. Tem muitas agências especializadas em mergulho. Vale a pena fazer passeio de barco, que para em 5 praias ao redor da ilha. Mesmo com o tempo nublado, foi muito legal fazer snorkeling e ver um cardume passando tão pertinho da gente.

Bem próximo a Koh Tao, tem a pequena ilha de Nang Yuan, um lugar lindíssimo com uma pequena faixa de areia dividindo as praias. É possível fazer uma pequena trilha subindo escadas e rochas para chegar ao “view point” e ter uma vista de cair o queixo!

Nossa segunda parada foi Ko Pha Nghan, na província de Suratthani. É uma ilha conhecida pela  Festa da Lua Cheia (Full Moon Party) que atrai turistas de todas as partes do mundo. Como não era época desta famosa festa, a ilha estava tranquila. Nós optamos por ficar em uma praia mais afastada do centro e foi uma delícia para relaxar.

A praia que ficamos chama-se Salad Beach. Era bonita, mas a maré estava muito baixa e não dava para nadar. Durante a baixa temporada, é possível encontrar ótimas promoções de hotéis na beira do mar, com piscina e café da manhã, por menos de US$ 30 a diária. Mas na semana da Festa da Lua Cheia, os preços sobem por toda a ilha.

Bem perto de Ko Pha Ngan, fica a ilha de Ko Samui, a maior ilha da região, que conta inclusive com um aeroporto. Ficamos em um hotel na praia de Mae Nam e foi uma ótima escolha; a praia é tranquila, tem bastante opções de cafés e restaurantes, além de ser ótima para nadar.  De lá, pegamos um passeio de barco até o arquipélago de Ang Thong.

O chamado "Ang Thong National Marine Park" é uma área protegida que compreende 42 ilhas. Na pequena ilha de Mae Koh, fomos ao lago "Talay Nai" ou "Emerald Green Lagoon", um lugar incrível, onde o verde da água chega a brilhar mesmo sem ter o sol batendo forte. Depois foi hora de perder o fôlego em uma escalada pelas rochas para chegar na parte mais alta da ilha de "Wua Ta Lap". O percurso não foi fácil, principalmente porque estávamos de chinelo, mas a vista lá em cima, com certeza, compensou o esforço.

Ilhas no mar Andaman

Passamos 2 dias na ilha de Koh Lanta, no sul da Tailândia. Mas vou confessar que não foi a melhor escolha, pois não vimos praias tão incríveis como em outros locais. É gostoso para relaxar e aproveitar a tranquilidade, especialmente durante a baixa temporada. Por outro lado, tinha muita coisa fechada, principalmente padarias e restaurantes. O lado positivo é que hotéis de frente para o mar e com piscina chegam a custar cerca de US$ 15,00 a diária. Entre os prós e contras, valeu a pena, mas para quem tem poucos dias de viagem, talvez não seja tão essencial.

Já Koh Phi Phi é o paraíso da Tailândia escolhido por Hollywwod; a ilha foi o cenário escolhido para o filme “A Praia”, com Leonardo di Caprio, e desde então passou a despertar o interesse de milhões de pessoas, e hoje é um destino bastante procurado.

Maya beach é a praia em que foram gravadas as principais cenas do filme. Vou confessar que é um lugar de cair o queixo, lindissímo. Tivemos uma tremenda sorte de chegar lá em um momento que não tinha tantas pessoas ao redor, o que é difícil porque essa praia virou uma das principais atrações do lugar. De Phi Phi, é preciso pegar um barquinho para chegar na Maya Beach, porque a praia fica em uma baía escondida entre as rochas.

Próximo à ilha de Phi Phi, tem outros lugares paradisíacos que valem a visita; é muito fácil encontrar passeios para estas ilhas. Adoramos a Bamboo Island, que tinha um mar azul e transparente; a Mosquito Island foi excelente para snorkeling; e nadar em uma lagoa próximo à Maya Beach foi um excelente surpresa. Literalmente! Fomos surpreendidos quando estávamos nadando na lagoa, quando, do nada, apareceram 2 caras em um caiaque distribuindo cerveja para galera. Detalhe, cerveja geladinha!

 O curioso é que Phi Phi tem dois públicos diferentes: aqueles que curtem o dia explorando a ilha, fazendo trilhas e caminhadas, e aqueles que curtem a noite, que ferve de baladas valendo até shows de pirofagia e free shots.  O detalhe é que, para ganhar o free shot as mulheres tem que mostrar os seios e os homens tirar a roupa. É, vimos muita doidera caminhando a noite pela praia das baladas, mas também vimos muita gente passando mal e sendo carregada.

Mas, como pertencemos ao primeiro tipo de público, que curte o dia, preferimos explorar a região e encontrar as praias mais afastadas e os melhores lugares para admirar essa paisagem tão deslumbrante!  

Toda essa região foi afetada pelo tsumani em 2004 e, por isso, atualmente foram criadas torres de observação para evitar catásfrofes; é comum encontrar placas indicando a rota de evacuação no caso de outro tsunami.

Koh Phi Phi  foi bastante destruída pelo Tsunami em 2004. As árvores que sobreviveram ao tsunami foram marcadas com lenços coloridos; é possível vê-las por toda a ilha. Foi aqui que gravaram algumas cenas do filme “Impossível”, que conta a história de uma família que sobreviveu à catástrofe. 

Porém, após o Tsunami, houve um aumento expressivo de investimentos na ilha, expensão da estrutura hoteleira e desenvolvimento do comércio, que hoje faz de  Koh Phi Phi um dos destinos mais procurados na Tailândia.

Como se deslocar para e entre as ilhas?

É muito fácil o deslocamento na Tailândia, pois há várias companias de ônibus, ferry e avião.

As ilhas do Golfo da Tailândia ficam mais perto de Bangkok e podem ser um bom início de roteiro. Em Bangkok, é possível fechar o pacote para chegar direto em qualquer uma das ilhas de Koh Tao, Phangan ou Samui, que inclui ônibus e ferry. Os preços variam em cada agência e é bom dar uma pesquisada antes de fechar.  Na região da Kaosan Road, é onde você encontra passeio e transportes para qualquer lugar da Tailândia.

O deslocamento entre as ilhas é bem simples, pois são várias as opções de balsas (ferries) e horários. Em baixa temporada, dá para comprar o ticket na hora. Para se deslocar das ilhas do Golfo da Tailândia para as ilhas no mar Andamam, é preciso de 2 balsas e 1 ou 2 ônibus. As agências já vendem o pacote pronto, com todos os meios de trasnporte inclusos. É cansativo, mas vale a pena.

Avião também pode ser uma ótima ideia, pois os preços são ótimos dependendo do trecho. Nós pegamos um voo de Krabi, que fica ao sul do país, para Bangkok, por 30 dólares, incluindo as taxas. Utilizamos a NOK Airlines e foi excelente, mas o trecho é também operado pela Bangkok Airways, AirAsia e Thai Smilles.

A natureza criou esses lugares incríveis e paradisíacos sem pedir nada em troca, e tem gente que não se dá ao trabalho nem de respeitá-los. Ninguem sai destruindo ou jogando lixo na casa de seus amigos, mas já nas praias, sei lá o que essas pessoas pensam. Só digo uma coisa, eu não quero estar perto quando a natureza ficar enfurecida de novo!

Acompanhe nossa aventura também pelo:

Facebook:
https://www.facebook.com/historiaspmundo

Instagram:
Historiaspelomundo

 

Loading...
Loading...